Quais as principais características de um growth hacker?

Quais as principais características de um growth hacker?

27 de Maio de 2019 0 Por admin

Fazer com que seu negócio cresça rapidamente exige inovação, experimentação e um pensamento focado. Em outras palavras, é preciso um profissional que pense como um growth hacker. Mas o que isso significa?

O growth hacking é uma prática que reúne técnicas de diversas metodologias. Nesse contexto, Inbound Marketing, práticas de SEO e demais outras soluções criativas podem ser direcionadas de forma inovadora para favorecer o crescimento. Mas para gerenciar tudo isso, é necessário contar com profissionais com o perfil ideal para inovar e extrair o máximo dessas experimentações. Mas você sabe o que um growth hacker necessita para oferecer isso?

Apesar de o growth hacking envolver estratégias de marketing, não necessariamente um time interno de marketing está preparado para aplicá-lo e estar à frente dessa estratégia. Lidar com os diferentes caminhos desta metodologia exige uma nova forma de pensar que vai além de cargos tradicionais. Um growth hacker procura brechas e identifica oportunidades para que a empresa cresça rapidamente e de modo sustentável.

Neste artigo, você saberá mais sobre o que é preciso para atuar como growth hacker. Quais são as habilidades esperadas para praticar o growth hacking? Qual é o comportamento de uma pessoa com raciocínio orientado para o crescimento escalável de uma empresa? Confira a seguir.

O perfil de um growth hacker.

De acordo com Sean Ellis, criador do termo, o growth hacker tem o crescimento como verdadeiro norteador de seus processos. Mas o que isso realmente significa? Afinal de contas, é esperado que todo bom profissional trabalhe para o crescimento de seu negócio, não é mesmo?

O pensamento de um crescimento acelerado e escalável tem origem nas startups de tecnologia. Com isso, o growth hacking passou a existir justamente a partir de um pensamento fora da caixa do marketing tradicional. Isso fez com que o perfil do growth hacker surgisse como uma forma de gestores de marketing reinventarem estratégias em sua gestão e estratégias de base.

Com isso, pode-se dizer que o perfil de um growth hacker pode ser assemelhado ao comportamento científico aplicado ao crescimento da empresa. Ou seja, trata-se de um profissional que pensará além da área de atuação. Por conta disso, não é necessário ter um perfil unicamente focado em marketing para atuar como growth hacker.

Profissionais de vendas, tecnologia da informação, de perfis voltados para design e engenharia: todos podem ser growth hackers. As brechas a serem encontradas e as hipóteses a serem testadas podem surgir de qualquer local. Por isso, é importante que o growth hacker tenha curiosidade e enxergue soluções criativas que gerem resultados de modo amplo para o negócio.

Por tudo isso, o desenvolvimento do growth hacker exige um perfil que permita que ele mantenha sua curiosidade estimulada. Bons profissionais que atuam com o growth hacking buscam aprender sobre novas ferramentas, tecnologias e até outras metodologias – a curiosidade genuína é uma de suas grandes características.

Outro aspecto relevante para o perfil de growth hacker é a capacidade em otimizar recursos em suas estratégias. Objetivos como o aumento na base de clientes e tráfego nos canais oficiais da empresa podem ser obtidos por meio do trabalho de um profissional com esse perfil.

Quando o posicionamento da marca deixa de ser o foco da mentalidade da empresa, o crescimento passa a conduzir o jogo. Portanto, o growth hacker deve ter um perfil alinhado para gerar ideias, otimizar estratégias diferenciadas e monitorar constantemente seus experimentos. Por tudo isso, pode-se dizer que as habilidades de um growth hacker permeiam três áreas: marketing, tecnologia e processos organizacionais.

As habilidades necessárias para o growth hacker eficiente.

O potencial do growth hacker pode ser explorado sem exigir uma formação acadêmica específica. Um pensamento criativo e que aplique a curiosidade e análise de dados é um dos maiores motores do growth hacking. Além disso, é essencial que o growth hacker tenha domínio das ferramentas a serem exploradas no processo e uma ampla visão de mercado.

Independentemente da área, é esperado que o profissional identifique padrões, tenha habilidade com números e apresente um pensamento lógico sobre o crescimento escalável. Na prática, o growth hacker age unindo técnicas de marketing, monitoramento de mídias digitais, programação, leitura e interpretação de massas de dados e o que mais precisar.

Para explorar as brechas em sistemas, é essencial que o profissional tenha habilidades com analytics. Métricas, dados e relatórios diários farão parte da rotina do growth hacker. Com o controle dessas informações, o growth hacker encontra caminhos inovadores para atrair clientes e promover maior crescimento na empresa.

Compreender a estrutura e a forma de lidar com processos alinhados ao comportamento de consumidor está também entre as habilidades de um growth hacker. Se considerarmos, por exemplo, o funil de crescimento, é possível elencar quais são as habilidades necessárias no trabalho de um growth hacker:

  1. Aquisição: conhecimento em técnicas para atração e conquista de clientes.
  2. Ativação: domínio e conhecimento das ferramentas voltadas à experiência do cliente.
  3. Retenção: saber o que é preciso para fidelizar a base de clientes.
  4. Receita: ter insights sobre o que deve ser feito para gerar um crescimento acelerado com base no faturamento gerado.
  5. Indicação: atenção a etapas de engajamento e pós-venda para a geração de novos clientes por indicação da marca.

Saber como priorizar as etapas de acordo com a necessidade de crescimento da empresa é essencial no processo. Uma empresa em seu primeiro ano, por exemplo, pode investir em técnicas de growth hacking com foco nas etapas de aquisição e ativação de clientes.

Como o growth hacking se baseia em experimentos, é preciso que o growth hacker saiba montar relatórios e levantar dados com agilidade e clareza. Quanto mais ágeis e precisas forem as métricas geradas por resultados, mais viáveis se tornarão as hipóteses formuladas.

Organizar essas informações exige habilidade em gestão de projetos. Dessa forma, recursos e funções podem ser alocados da melhor forma possível, sem comprometer a qualidade do trabalho.

Por fim, é importante lembrar da definição feita por Michael Birch, um dos primeiros growth hackers, que afirmou que “growth hacking é tanto uma arte quanto uma ciência.” Assim, para trabalhar com ele, é preciso não apenas ser criativo, mas aplicar a criatividade a favor do crescimento da empresa, baseando-se em dados e em inteligência competitiva para orientar as decisões e a criação de soluções fora da caixa.

Considerações finais

O perfil do growth hacker ainda é algo complexo para determinadas empresas poderem avaliar e captar em sua equipe. A criação de soluções que ofereçam uma boa experiência para o cliente depende de um projeto sólido. É de responsabilidade do growth hacker saber desenvolver soluções internas que beneficiem as equipes de marketing, vendas e demais outras.

Como vimos, as habilidades de um growth hacker não se limitam ao conhecimento técnico. Como a própria origem do growth hacking ensinou, foi necessário passar boas práticas para gestores e analistas em startups. Isso é uma realidade que persiste até os tempos atuais. As habilidades de cada profissional devem ser testadas em relação ao crescimento para que o growth hacking possa ser implementado com sucesso.

A ligação entre negócios e tecnologia hoje é muito próxima. Empresas sabem que dominar estratégias de crescimento exige profissionais com comportamento que equilibre sensibilidade e pensamento analítico. Afinal, é dessa forma que os relacionamentos digitais ocorrem. Um growth hacker deve saber explorar as possibilidades analíticas, mas com uma boa percepção humana.

Tudo isso torna criar um processo seletivo para growth hacker bastante desafiador. Os testes de recrutamento tradicionais não dão conta de avaliar habilidades tão complexas e, por vezes, subjetivas para encontrar o melhor candidato. Assim, muitas empresas encontram dificuldades em recrutar e selecionar profissionais para assumirem a frente do growth hacking em suas organizações de modo ágil e assertivo.

Assim, uma alternativa para a organização que deseja um crescimento escalável é buscar empresas especializadas na metodologia growth hacker.

A Engenharia de Marketing, conta com profissionais focados em detectar prioridades, executar testes, analisá-los e, por fim, construir ações de resultado. Saiba como alavancar o crescimento de sua empresa e atinja os objetivos de forma acelerada, rentável e eficiente,